Mostra sobre Representatividade: o cinema om outros olhos

Mostra sobre Representatividade: o cinema om outros olhos

28 de novembro de 2019 0 Por Equipe do Portal

Há três anos a Mostra sobre Representatividade realizada pelos alunos de cinema da ESPM-Rio traz ao auditório da faculdade debates sobre temáticas atuais na sociedade. Como resultado da disciplina ministrada pelo professor Gabriel Marinho, ligada ao mesmo tema, o evento tem como proposta apresentar filmes que possam gerar discussões importantes para a realidade do público, trazendo pessoas que participaram da produção destes projetos. 

Em 2019 os 3 dias de apresentação foram divididos respectivamente entre a temática da negritude, da representação de personagens transsexuais nas telas do cinema, e das mulheres no mercado de trabalho. Grupos compostos por 6 ou 7 participantes cuidaram de cada um dos dias, buscando trazer ao público as noções aprendidas em aula. 

Na terça-feira (26), a conversa foi sobre a presença de negros nas telas. O estudante do 4° período de cinema, Marcos Vinicius de Albuquerque, fez parte do grupo que cuidou desta parte da Mostra. Ele conta que foi um processo delicado, principalmente por ter sido realizado no mês da consciência negra: “ Nós queríamos convidar realizadores, exibidores, e enfim, pessoas negras que fazem cinema, pessoas que ocupassem cargos de chefia ou não”. Marcos fala ainda da importância da Mostra para a faculdade: “Acho que todos precisam assistir, independente dos cursos, eu acho que é uma coisa que a gente precisa ter para a representatividade, que sem isso, seria muito complicado”.

Filme exibido no terceiro dia da Mostra.
Foto: Felipe Roza.

No segundo dia, foi exibido um longa ligado à temática LGBTQI+, além de curtas voltados para o mesmo assunto. Sofia Tanisset é uma das estudantes da ESPM que ficou responsável por esta parte do projeto. Para ela, apesar de ter sido um processo um pouco estressante, com diversos assuntos para resolver durante a produção, no final mostrar essa representatividade valeu a pena. “Trouxemos para o auditório uma mulher trans, o que é importante  porque é um espaço que não vemos sendo ocupado na ESPM, então é importante trazer uma palestrante”, afirma.

Já hoje, filmes que incentivem a discussão ligada a mulheres no audiovisual estão sendo apresentados. Apesar de ainda serem a minoria, as mulheres, em 2018, representaram 31% do protagonismo em 100 dos filmes de maior bilheteria nos Estados Unidos, segundo levantamento realizado pela San Diego State University. “Na maioria das vezes, apesar de as mulheres serem as personagens principais costumam ser ofuscadas por outros secundários que são homens. O cinema ainda é um meio machista, por isso é importante trazer profissionais aqui para discutir sobre o mercado de trabalho”, diz Ana Luiza Neias, uma das organizadoras do terceiro dia do evento. 

    A edição de 2019 contou com 50 alunos até então, mas os organizadores acreditam que a maior presença será na palestra de hoje. O evento ainda acontecerá até as 21h, no auditório da Rua do Rosário, 90.

Reportagem: Bárbara Beatriz, Beatriz Aguiar, Felipe Roza, Larissa Oliveira e Maria Luísa Martins.