Contagem regressiva para o ENEM

Contagem regressiva para o ENEM

29 de outubro de 2019 1 Por Equipe do Portal

Faltam cinco dias para o primeiro dia do ENEM, principal forma de ingresso nas faculdades federais do país, com as provas de Ciências Humanas, Linguagens e Redação no primeiro fim de semana de prova. Segundo o INEP, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, foram mais de 5 milhões de inscrições para as realizações desta edição, que ocorrerá nos dias 03 e 10 de novembro. O número de candidatos, deste ano, é o menor da década, sendo o maior em 2014 com 8,722 milhões. 

Para o professor de biologia do canal online Descomplica, Rubens Oda, neste momento é difícil aprender qualquer coisa nova. “É muito importante que você de fato se preocupe em revisar os temas que mais caem.”, analisou. Para ele, refazer os exercícios que mais errou e reler os resumos feitos durante o ano são as melhores estratégias para os últimos dias pré exame.

É desta forma que o vestibulando Thiago Bianchi se prepara para fazer pela quarta vez a prova. Hoje em dia busca o curso de História nas federais e, nesta semana, está relembrando os principais conteúdos e estudando os possíveis temas da redação. Ele explicou que este ano está mais tranquilo ao comparar com as edições anteriores: “Eu me deixava levar muito pela minha ansiedade, meu nervosismo, e isso afetava diretamente meu desenvolvimento na prova. Hoje eu tento manter uma postura mais calma”. 

Crises de ansiedade e casos de depressão são comuns entre vestibulandos, segundo a psicóloga Ana Fróes. A diretora do Centro Psicológico de Combate ao Stress(CPCS) de Niterói explica que muitos jovens deixam de ter qualquer atividade de lazer neste momento para estudar e ressalta as complicações provocadas por isso: “Eles acabam apresentando sintomas físicos e psicológicos, acabam tendo que parar de qualquer maneira, o corpo e a mente não aguentam.” Para ela, ter uma alimentação balanceada, praticar exercícios físicos, afastar pensamentos negativos e se proporcionar momentos de relaxamento são as principais formas de manter a calma e de diminuir o estresse nesta semana.

A maior expectativa em todos os anos é em relação ao tema da redação. Por ter um peso grande na nota final, a matéria ganha cada vez mais destaque entre os professores, que tentam de toda forma antecipar o tema escolhido pelo MEC, Ministério da Educação. Para a professora da disciplina, Jaqueline de Medeiros Brandt, a aflição não é uma exclusividade dos alunos: ”A gente trabalha o ano inteiro para que o aluno tenha o resultado que ele deseja. Ficamos com uma certa ansiedade junto com eles, esperando que seja um tema justo e que eles se saiam bem”, finalizou.

Perseverança e esforço são palavras presentes no vocabulário de candidatos de vagas em universidades através do ENEM. Luiza Hausen vai prestar o exame pelo quarto ano, visando o curso de medicina, um dos mais disputados. “Eu estudo todos os dias de 8h às 20h e Finais de semana quando consigo.”, afirma. Para a candidata, é importante respeitar os seus limites e estar com o lado emocional equilibrado para não prejudicar na hora da prova.

O cuidado emocional é o principal nesta última semana, segundo o estudante Bruno de Almeida, que tenta uma vaga para o curso de ciências contábeis pela segunda vez. Ele explica que é o momento de se acalmar e fazer o que gosta: “É para manter um equilíbrio para que, durante a prova, consiga reproduzir tudo  que estudei durante o ano”.

 De acordo com a psicóloga e psicanalista, Manuela Birtel Amendola, respirar fundo e pausadamente ajuda a organizar o sistema circulatório, proporcionando mais calma nos momentos de tensão da prova. Ela ainda acrescenta que manter um pensamento de “vou fazer o meu melhor”, ajuda a diminuir o peso atribuído à prova e a tranquilizar o vestibulando.

Pelo baixo número de vagas comparado ao de inscrições, muitos estudantes acabam tentando mais de uma vez. Lucas Henrique Lovatel faz a prova pelo segundo ano em busca de cursar Jornalismo em 2020. Em sua preparação ao longo do ano, além de simulados e exercícios, buscou estudar o que havia errado no ano anterior. Essa é uma das indicações de professores como Igor Oliveira, de História, que ressaltou, também, a importância de se familiarizar com o estilo e linguagem da prova, além de treinar o tempo gasto: “Fazer as simulações com as edições antigas é a melhor coisa que tem a fazer nessa reta final”, concluiu.

Reportagem: Ana Júlia Oliveira, Carolina Oliveira, Diana Campos, Renan Adnet, Yan Lacerda.

Infográfico: Ana Júlia Oliveira.