Um bom programa para o fim de semana: visitar a exposição gratuita “DreamWorks, uma jornada do esboço à tela” no CCBB

Um bom programa para o fim de semana: visitar a exposição gratuita “DreamWorks, uma jornada do esboço à tela” no CCBB

29 de março de 2019 7 Por Diana Campos

A amostra gratuita no centro do Rio de Janeiro conta com mais de 400 objetos de acervo da Dreamworks Animation Studios, produtora de filmes como “Shrek”, “Kung Fu Panda”, “Madagascar” e “Como Treinar Seu Dragão”. A exposição traz a preparação de 35 longas da produtora, desde “Formiguinhaz”, de 1998, até “Capitão Cueca, O FIlme”, de 2017.

“A DreamWorks Animation: A exposição – Uma jornada do esboço à tela” já foi vista em sete países e ocupa o Centro Cultural Banco do Brasil desde 6 de fevereiro até o dia 15 de Abril. Essa já é a Terceira exposição mais visitada do CCBB, e recebe em média 10500 pessoas por dia, ficando atrás apenas da Mostra Surrealista em 2001 e  ‘Arte da África’ em 2003.

A exposição é dividida em 4 partes. O primeiro espaço é dedicado à criação dos personagens, com projeções, maquetes e desenhos. Estão expostos, por exemplo, rascunhos do protagonista ‘Shrek’, que mostram um personagem nada semelhante com o que conhecemos hoje. A segunda parte está voltada para a história, o que os personagens criados irão viver.

Na terceira e última parte, estão expostas as realidades dos personagens e do ambiente. Neste momento estão as pesquisas para a construção dos cenários do Kung Fu Panda e também as maquetes do Shrek. O animador e ilustrador da Dreamworks Studios, Ennio Torresan Jr., conta que os ambientes têm cores padronizadas, seguindo a mesma linha de tons. De acordo com ele, “as cores interferem nas emoções”.

Durante toda a exposição, o público consegue entrar no universo fantástico de ogros, dragões, fadas e trolls. Logo no térreo do CCBB, com uma projeção 3D, é possível simular o vôo nas asas de dragões, além testar ser animador ao criar o seu próprio curta animado. Os  vídeos de animadores imitando os personagens para ter noção do resultado final e mesas com rascunhos e anotações mostram parte do processo de criação das histórias. “A mesa é assim mesmo, a gente fica tentando desvendar a história do filme”, diz Ennio. Apaixonado pelo mundo da animação há mais de 30 anos, ele já não consegue separar o que é DreamWorks Studios dele, “esse é meu mundo, eu vivo num mundo de história”.

Reportagem: Diana Campos e Yasmim Ribeiro