O início da Copa Intercontinental de Basquete

O início da Copa Intercontinental de Basquete

15 de fevereiro de 2019 3 Por Bruna Lima

Reportagem de Maria Eduarda Volta e Yuri Murta

 

A Copa Intercontinental de Basquete da FIBA iniciou ontem, em uma coletiva de imprensa que aconteceu na Arena Carioca 1, local onde será disputada todas as partidas do torneio. A competição terá a participação de quatro equipes, sendo elas: AEK Athens, campeão da Liga dos Campeões da FIBA, Austin Spurs, campeão da Liga de Desenvolvimento da NBA, San Lorenzo-ARG, campeão da Liga das Américas, e o Flamengo, clube anfitrião do evento.

Durante a coletiva de imprensa, os técnicos e capitães dos quatro times falaram da importância da competição e do estilo de jogo de seus oponentes. O italiano Luca Banchi, treinador do AEK Athens, falou que o título da Copa Intercontinental seria de extrema importância para concluir um ciclo vitorioso, após o clube ter passado por anos em crise. “O AEK é um time com muita tradição e história, mas passou por maus momentos e há alguns anos atrás estava disputando a terceira divisão do  campeonato nacional. Graças ao atual presidente, o time pôde voltar a buscar o seu espaço e ser grande de novo. No último ano o clube ganhou dois troféus, a copa da Grécia e a Liga dos Campeões. Estar aqui e ser campeão é a forma mais incrível de fechar um ciclo vitorioso.”

O jogador Jerome Meyinsse do San Lorenzo, que foi campeão do torneio em 2014 quando defendia o Flamengo, ressaltou a importância dessa experiência para ajudar o time na competição. “É uma oportunidade de ganhar o torneio pela segunda vez para mim. O time do San Lorenzo é uma equipe muito jovem, espero poder ajudar meus companheiros com a experiência que vivi aqui em 2014.”

Para Blake Ahearn, técnico do Austin Spurs, a equipe terá uma dificuldade maior, já que tem que se adaptar com as regras da FIBA, uma vez que a G-League, assim como a NBA, joga suas partidas com algumas regras diferentes, como o tempo de partida e número de faltas. “Será um pouco diferente, iremos nos adaptar durante as partidas. Tivemos algumas práticas com as regras da FIBA. Precisaremos de alguns ajustes, mas viemos para jogar e competir duro e espero que nossas habilidades possam tomar conta do jogo.”

Em meio à semana difícil pela qual o Clube de Regatas do Flamengo passou, após o incêndio no Ninho do Urubu que culminou com a morte de dez jovens das equipes das divisões de base do sub-15 e sub-17 do time de futebol rubro negro, o técnico Gustavo de Conti e o capitão Marcus Vieira falaram sobre a reação do time ao acontecimento. “Ninguém se prepara para uma tragédia. Voltar do jogo das estrelas foi a decisão mais fácil a ser tomada porque nós não tínhamos a mínima vontade de estar ali. Fizemos uma reunião e foi unânime que tínhamos que voltar e estar com todos aqui no Rio. Estamos tentando seguir em frente e fazer a nossa parte. Tudo isso é muito triste, principalmente para nós.” disse Gustavo de Conti.

“Passamos por uma semana muito difícil para o povo carioca e o povo brasileiro, mas vamos tentar trazer um pouco de felicidade em meio a tanta tristeza.” respondeu o jogador, que já foi campeão mundial com o Flamengo em 2014 contra o Maccabi Tel-Aviv de Israel.

Os capitães dos quatro times em volta do troféu do torneio.

As semifinais do torneio acontecem hoje, sexta-feira, 15, com o primeiro confronto entre o campeão sul-americano e o europeu, às 18 horas. Logo após o jogo, acontecerá a segunda semifinal entre Flamengo e Austin Spurs, às 21 horas. Os vencedores dos confrontos se enfrentarão na final no domingo, 17, às 18 horas. Antes desse jogo as outras equipes disputarão o terceiro lugar.