Quentinha ou Restaurante? Saiba como economizar na hora do almoço

Quentinha ou Restaurante? Saiba como economizar na hora do almoço

28 de novembro de 2018 0 Por Davi Barbosa
  • Por Carolina Souto, Davi Barbosa e Isabelle Xavier

 

Levar comida de casa, comprar uma quentinha ou comer em um restaurante? Essa é a principal pergunta dos alunos que querem economizar no almoço no Centro do Rio de Janeiro. Para ajudar a esclarecer essa dúvida, o grupo de estudos sobre finanças Abacus foi atrás desses números. A pesquisa foi baseada em enquete realizada com estudantes da ESPM, além de um estudo de custo. O resultado não é surpresa: preparar a própria marmita costuma ser bem mais vantajoso, do ponto de vista financeiro.

O estudo envolveu pratos convencionais e veganos, considerando os preços de restaurantes à quilo e quentinhas vendidas nos arredores da ESPM (Rua do Rosário). Segundo o levantamento feito pelo Abacus, o custo de um almoço em estabelecimentos como Filleto, Chiktal e Under Grill é de, em média, R$22 para refeições padrão e de R$23,50 para vegetarianos e veganos.

Já o valor médio de uma quentinha pronta, vendida no Centro, é de R$18. Para os veganos e vegetarianos, o preço varia podendo chegar até R$40. O cálculo das marmitas feitas em casa levou em consideração alimentos conhecidos como tradicionais do almoço brasileiro como arroz, feijão, contrafilé, brócolis e cenoura, saindo por R$5,96. Enquanto isso a opção vegetariana ficou em R$9,03 com a substituição da carne vermelha pelo falafel.

De acordo com os valores apresentados pela pesquisa é possível economizar até R$320,8 por mês se o consumidor convencional substituir o almoço em restaurantes pela preparação dos alimentos em casa. Já para os vegetarianos e veganos, a economia pode chegar até R$389,4. Para chegar a estes valores, o Abacus usou como base os restaurantes e locais de venda de quentinha apontados como mais frequentados pelos alunos da ESPM.

E aí, já sabe o que escolher para a próxima refeição?