A infografia e os novos desafios do jornalismo visual

A infografia e os novos desafios do jornalismo visual

27 de agosto de 2018 0 Por Caio Garritano
  • Reportagem de Bruna Lima

Alessandro Alvim, infografista do “O Globo” e Rubens Paiva, editor de arte, participaram, nesta segunda feira (27), da Week Up – Semana de Profissões da ESPM Rio. Eles apresentaram aos alunos os desafios de contar uma história de uma forma inovadora e cativante por meio da infografia.

Hoje em dia, para uma reportagem jornalística atrair cliques e cativar o público ela deve ir além do texto. “O repórter já tem que sair da redação pensando no que ele pode usar para enriquecer a matéria dele”, comentou Rubens Paiva. A tecnologia digital fez com que em uma redação exista o designer que apura matéria e o jornalista que trabalha com infográficos. Essa multidisciplinaridade gera, hoje, o que é chamado de jornalismo visual.

Alessandro Alvim e Rubens Paiva falaram sobre infografia na 1ª mesa da Week Up./ Foto: Eliza Ranieri

Paiva e Alvim passaram pela transição da redação do impresso para uma redação que também é digital. O desenvolvimento tecnológico fez com que a velocidade da produção de conteúdo aumentasse consideravelmente, o que motivou um acúmulo de tarefas. Alessandro Alvim diz que o conhecimento não se atém mais a um único profissional, pois senão o mesmo não daria conta.

Rubens Paiva também ressaltou que ser multidisciplinar é uma forma de sobrevivência no mercado atualmente. “Você precisa aprender que a maneira de entregar uma notícia mudou e é preciso conhecer essas novas ferramentas”. Ana Luiza Costa, de 21 anos, é estudante de design e trainee do Infoglobo e convive de perto com estes recursos. Ela comenta que nunca havia entrado em contato com a infografia, mas teve que aprender a analisar dados, formular uma pauta, escrever e ilustrar matérias.

Os dois profissionais destacaram que a combinação de textos, fotografias e grafismos é um fator capaz de prender o leitor. Alvim citou um exemplo de 2016, quando produziu uma matéria sobre o Morro do Castelo, no Rio de Janeiro, que comportou diferentes mídias e obteve, em média, nove minutos de permanência na página, superior a uma matéria em texto, que costuma ter menos de 1 minuto. “Até um tempo atrás, o modelo de negócio buscava o page view, o clique. Hoje, o que mais importa é o engajamento do leitor”, disse Rubens Paiva.

A internet não só tornou os infográficos interativos, mas fez deles uma ferramenta estratégica de crescimento de negócios. Os jornais digitais que hoje dão certo, de acordo com Alessandro Alvim, são aqueles que estão investindo na infografia como narrativa. “The New York Times, The Washington Post e The Guardian são empresas que se reestruturaram, demitindo e contratando pessoas com foco na narrativa e nas plataformas digitais”, concluiu Alvim quando perguntado sobre o futuro do jornalismo.