Oscar 2018: expectativas e previsões

Reportagem de Cecilia Santos, Isabelle Rodrigues e Karoline Kina

Com mais de 50 filmes indicados, a 90ª edição do Oscar acontecerá no próximo domingo, dia 4 de março, no Dolby Theatre, em Los Angeles, Estados Unidos. Longas, curtas e documentários, sejam eles nacionais ou estrangeiros, concorrem em 24 categorias, sendo a de “Melhor Filme” a mais importante da noite. Dentre os concorrentes, estão: Me Chame Pelo Seu Nome, O Destino de Uma Nação, Dunkirk, Corra!, Lady Bird – A Hora de Voar, Trama Fantasma, The Post – A Guerra Secreta, A Forma da Água e Três Anúncios Para um Crime.

 

Os nove filmes indicados a categoria ‘Melhor Filme” na 90º edição | Foto: Reprodução

 

A premiação é concedida todos os anos, desde 1929, pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (The Academy of Motion Pictures Arts and Sciences). Com o intuito de reconhecer os melhores filmes, diretores, atores, roteiristas, editores de som, montadores, figurinistas e compositores, entre outras ocupações, as categorias totalizam 24 prêmios e envolvem cerca de 6200 profissionais da indústria cinematográfica que votam para indicar os melhores nomes do ano anterior. Hoje, como um símbolo da história e cultura do cinema mundial, a cerimônia é transmitida anualmente por canais de televisão e sites de streaming.

As especulações sobre o vencedor da principal categoria começaram assim que os indicados foram anunciados. Para a estudante Amanda Mira, fundadora do blog sobre cinema “Mira na Tela”, o filme “Três Anúncios Para um Crime”, que conta a história de uma mãe inconformada com a forma com a qual a polícia da cidade lida com o assassinato de sua filha, levará a estatueta para casa. A jovem acredita que o fato de a produção ter sido a vencedora de outras premiações, como o Globo de Ouro na categoria “Melhor filme de drama” e o Bafta, premiação da Academia Britânica, pode ser um indício de mais uma vitória que está por vir. “A ideia em si é simples, mas o roteiro encadeia uma série de consequências tão bizarras, quanto surpreendentes e acho que faz o estilo da Academia por isso. Com bons atores que executam bons personagens, o enredo se torna ainda mais incrível”, afirma.

O turismólogo Vinicius Rodrigues, que acompanha o Oscar desde a infância, não concorda com Amanda. Sua aposta? “A Forma da Água”, do diretor Guillermo del Toro. “Eu estou muito confiante com o filme e vou apostar neste, não apenas com a minha visão emocional, mas creio que a Academia não vai se distanciar das outras premiações, que deram a estatueta para o longa”, explica. O filme de del Toro  é o líder de indicações no Oscar, com 13 categorias, além de ter sido premiado no Critic’s Choice Movie Awards, prêmio concedido pelos críticos de cinema dos Estados Unidos e Canadá, e Directors Guild of America Award, prêmio do Sindicato dos Diretores da América.

“A Forma da Água” também é a aposta da professora de direção de arte, Paloma Buquer. Para ela, “dentre os outros concorrentes, este foi o que melhor reuniu qualidades estéticas e dramáticas em sua narrativa fílmica”. A trama, que se passa nos EUA  da década de 1960, conta a história de Elisa, uma faxineira muda que trabalha em um laboratório secreto do governo onde um homem anfíbio está sendo mantido em cativeiro. Quando ela se apaixona pela criatura, decide elaborar um plano para ajudá-lo a escapar. A história, apresentada como uma fábula, concorre nas  categorias de  “Melhor Direção”, “Melhor Fotografia”, “Melhor Roteiro Original”, “Melhor Design de Produção”, “Melhor Edição e Mixagem de Som”, “Melhor Atriz”, “Melhor Atriz e Ator Coadjuvante”, “Melhor Figurino”, “Melhor Trilha Sonora Original” e “Melhor Edição”. Caso vença em 11 das 13 categorias, “A Forma da Água” irá se igualar a “Ben-Hur”, “Titanic” e “Senhor do Anéis: O Retorno do Rei”, os filmes mais premiados da história do Oscar.

Já a estudante Carolina Caldas, que começou a acompanhar a premiação recentemente, assistiu a maioria dos filmes indicados e, apesar de ter “Lady Bird – A Hora de Voar” como o seu preferido, acredita que o filme não tem chances de brigar pela estatueta de 2018. “Apesar de ter me agradado muito, não achei que está no mesmo nível dos outros”, afirma. Com três apostas para a categoria, a estudante afirma que “Três anúncios para o crime” deverá ser o vencedor de “Melhor Filme” por achar a história relevante para o cenário atual, já que aborda temas como violência, assédio e empoderamento feminino. Os títulos “Me chame pelo seu nome” e “Corra!” são as outras preferências de Carolina entre as indicações. Além disso, ela aponta que os vencedores das categorias “Melhor Atriz Coadjuvante” e “Melhor Ator Coadjuvante” serão relacionados com a obra. “O filme possui personagens fortes e bem construídos que ganharam vida com atores que mostraram representações excelentes”, complementa.

E você, já tem um preferido? Faça sua aposta!

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *