Surpreender e informar o público: a missão dos jornalistas

“Revelar notícias de interesse público que o público não sabe que estão acontecendo”. Esse, segundo o jornalista Mauri König, é um dos objetivos e um dos motivos que tornam o jornalismo relevante em qualquer sociedade. Ao fazer palestra na última mesa de debate da 4ª Semana de Jornalismo da ESPM Rio, nesta sexta-feira (10/11), sobre jornalismo investigativo e de dados, , Mauri falou da importância do jornalismo hoje em face das fake news e da enorme quantidade de informações as quais temos acesso. “Nesse mar de informações que nós temos, a maioria é inútil, então, num dado momento, as pessoas vão começar a perceber que elas vão ter que se agarrar em ilhas de excelência”, sustentou o jornalista. E, para ele, essas “ilhas” são marcas já consolidadas ou que ainda estão se formando, como os sites nativos digitais, as mídias digitais que surgiram na internet e que estão se tornando referência de credibilidade jornalística nesse meio.

Além disso, König  falou do backstage de duas de suas reportagens. “Os patrões do tabaco” denunciava a rota do contrabando de tabaco na América Latina e como o ex-presidente do Paraguai Horacio Cartes era um dos maiores beneficiados pelo negócio ilegal. Na outra matéria, a “Polícia fora da lei”, expôs um esquema de corrupção na Polícia Civil do Paraná, que dedicava parte de sua verba do fundo rotativo para o funcionamento de delegacias fantasmas que, na realidade, serviam como uma fachada para o desvio de dinheiro organizado pelos policias.

 

Mauri König na palestra sobre “Jornalismo investigativo e dados” | foto: Beatriz Bastos

 

Outro ponto defendido por Mauri foi a importância da análise de dados no seu trabalho. Um exemplo nítido dessa relevância foi quando ele estava investigando a polícia paranaense para embasar suas denúncias: “Eram todos dados oficiais. Nós cruzamos e fomos a campo provar”. Para König, eles ajudam a quantificar e a dimensionar uma realidade e, graças à quantidade de fontes que temos hoje em dia, estão cada vez mais presentes e necessários para a compreensão do que se é retratado em uma reportagem.

A gerente do TechTudo, Luiza Baptista, também participou da mesa, falando sobre as estratégias do site para produzir conteúdo. “Não basta a audiência para se ter sucesso”, defende Luiza. O site, ao mesmo tempo que fala dos fatos, acha necessária a inteligência de demanda, ou seja, a análise dos itens mais buscados e compartilhados, focando na necessidade do usuário para produzir um conteúdo voltado para o público.  Além disso, O TechTudo também usa os dados para selecionar o conteúdo social que publica, analisando a sua capacidade de conversão, engajamento e viralização.

 

A palestrante Luiza Baptista no último dia da 4ª Semana de Jornalismo | foto: Beatriz Bastos

 

Além disso, Luiza, assim como König, frisou o valor da análise de dados para o funcionamento do site, ajudando-os a produzir conteúdo mais assertivos. “No jornalismo digital, é essencial a análise de dados, a gente percebe um crescimento na relevância disso, porque a competição é feroz”, defende Luiza. Apesar de ser fortemente concentrado na produção de conteúdo sob medida para o público, o TechTudo também investe em reportagens que o leitor não espera encontrar, tornando-se protagonista do noticiário de tecnologia muitas vezes, e não apenas refém do que o público deseja ler. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *