Exposição “Yes! Nós Temos Biquíni” conta a história do traje de banho no CCBB

Reportagem de Karoline Kina

Pinturas, vídeos, ilustrações e esculturas são apenas algumas formas de representação da história do traje que revolucionou o universo feminino. O biquíni, criado pelo engenheiro francês Louis Réard, é o tema da mostra “Yes! Nós Temos Biquini”, que chegou no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) no dia 15 de maio e ficará disponível até o dia 10 de julho.

Segundo a Assessoria de Imprensa do local, a exposição tem recebido cerca de mil e quinhentas visitas por dia.   

Manequins exibem modelos de biquínis de diversas épocas. / Foto: Karoline Kina

A mostra, que conta com cerca de 120 obras, exibe um histórico da evolução e transformação da moda praia feminina. Aborda, inclusive, a participação do Brasil nessas mudanças através de obras de artistas como Beatriz Milhazes, Leda Catunda e Rochelle Cost, além dos fotógrafos German Lorca, Thomaz Farkas, Bob Wolfenson, Cassio Vasconcellos, Claudio Edinger, Jacques Dequeker, e de outros trabalhos audiovisuais como os de Katia Maciel e Janaina Tschäpe, por exemplo.

Em uma das salas, a exposição faz uma comparação entre as vestes dos indígenas brasileiros e o biquíni, gerando a conclusão de que os nativos poderiam sim receber os créditos pela criação do traje, devido à maneira similar como cobriam o corpo. A auditora Aylane Teles, de 31 anos, fez um elogio à forma como a história do traje de banho é exibida, relacionando com o Brasil. “Eu gostei porque traz aquela ideia que quem inventou o biquíni fomos nós, brasileiros, e não os franceses”, explica. Ela acredita ainda que representa bem as transformações que ocorreram em relação à vestimenta e a visão da sociedade acerca do tema.

Fotografias de indígenas na exposição. / Foto: Karoline Kina

 

Outro ponto abordado é o empoderamento feminino e a questão da exposição do corpo. A advogada Amanda Felix, de 27 anos, é do Ceará e estava visitando o Centro Cultural com a família. Ela acredita que a mostra é um retrato da evolução da moda e do feminismo em si. “Eu achei que é um experimento social também, da questão da evolução do que a mulher pode ou não pode fazer”, conta.

A quebra dos padrões de beleza é um dos temas abordados na mostra / Foto: Karoline Kina

Assim como ela, a aposentada Jordete de Oliveira, de 62 anos, também fez elogios à exposição. “Eu achei linda, muito bem feita. Eu gosto de arte de um modo geral e acho que a curadoria está de parabéns por esse trabalho”, diz. A curadora responsável é a jornalista e consultora de moda Lilian Pacce, também autora do livro “O Biquíni Made In Brazil”.

O Centro Cultural Banco do Brasil abre de segunda a quarta, das 9h às 21h. A entrada na exposição “Yes, Nós Temos Biquíni” é gratuita.

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *