Projeto “Atletas Cidadãos” muda a vida de jovens através do esporte

O projeto “Atletas Cidadãos” da Escola Municipal Jornalista e Escritor Daniel Piza tem a missão de mudar a realidade dos jovens de Acaraí, na Zona Norte do Rio. Criado em julho de 2012, o programa oferece atividades esportivas aos alunos interessados, mas os ensinamentos vão muito além do esporte em si.

A ideia veio da parceria de longa data dos professores Victor Ventura e Marcelo Lima que, ao chegarem a Daniel Piza, notaram a demanda dos alunos por esporte. “Percebemos que alguns deles apresentavam interesse e habilidade para a prática esportiva e levamos a ideia para a direção, que aceitou prontamente o nosso pedido”, disse Ventura. De acordo com Marcelo, nas escolas públicas, são raras as iniciativas ligadas à educação física que contam com um apoio tão amplo da administração e de outros professores da unidade.

Os professores Marcelo Lima (de azul, no centro) e Victor Ventura (de verde, à direita) com os jovens atletas. Foto: acervo pessoal de Marcelo Lima.

Infelizmente, a escassez de recursos ainda gera dificuldades no ensino dos jovens atletas. A falta de material impede a vivência plena do esporte, prejudicando o aprendizado e, consequentemente, as mudanças sociais. Dessa forma, o apoio de outros profissionais da educação é muito importante para o “Atletas Cidadãos”: sem a ajuda da prefeitura, são eles quem fazem doações de materiais, transportam os alunos para as competições, pagam passagens e organizam rifas para arrecadar dinheiro. Tudo para garantir que a experiência das crianças não seja perdida.

Do desempenho nas disciplinas da grade curricular ao crescimento social, as melhorias que o projeto trouxe à escola são notórias. Segundo Marcelo, os alunos passaram a ter maior respeito pelo material. “O aluno que chuta uma bola de basquete ou de vôlei é repreendido por um amigo”. No cotidiano das aulas, a diminuição das abstenções e a melhora de comportamento é visível nos membros das equipes esportivas. Sem contar com aqueles que, graças ao talento revelado pelo programa, foram federados por clubes profissionais e receberam bolsas em colégios particulares – foram três no Sistema Elite de Ensino e dois no Colégio Sul Americano. Ventura cita, também, as viagens feitas em competições e treinos externos, que contribuem para a expansão nos horizontes dos jovens que crescem em Acaraí. “Ano passado jogamos em Niterói… Havia crianças que nunca tinham atravessado a Ponte Rio-Niterói. Como medir isso?”

Além de todos os benefícios acadêmicos, há a importância da prática esportiva para o desenvolvimento da criança e do adolescente – seja motora, social ou afetiva. Apesar das diferenças, os alunos criam um envolvimento maior e passam a reconhecer a importância do próximo para a coletividade: “eles conseguem entender que um precisa do outro para chegar a um objetivo comum, então quando um erra o, outro o apoia”, afirma o professor Victor Ventura.

Marcelo Lima e a equipe masculina de basquete. Foto: acervo pessoal de Marcelo Lima

Atualmente, devido à precariedade das instalações – as traves dos gols da escola estão quebradas. Por isso,  só estão disponíveis basquete e  handball. No entanto, para fazer parte das turmas, não é preciso fazer inscrição e nem possuir habilidade na modalidade desejada: é só ter a vontade de participar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *