Depois da Páscoa, chocolate continua salgado

Após o feriado da Páscoa, as lojas ainda estão cheias de ovos. No entanto, a baixa nos preços não foi suficiente para trazer de volta os consumidores que faltavam: atrasados, esquecidos ou até mesmo gente que contava em encontrar valores mais acessíveis. As lojas continuam cheias, não só de gente, mas de chocolate também.

A vendedora Adriana Sousa, de 24 anos, lamenta não ter podido comprar chocolates para os sobrinhos. Comprou somente para o filho e o afilhado. Mesmo assim, só foi comprá-los depois da Páscoa, depois de os preços “terem abaixado um pouco”, disse.

Analder Lopes, de 33 anos, é jornalista e esperou propositalmente a segunda-feira depois do feriado. Segundo ele, é quando “os preços começam a ficar interessantes e ainda restam muitas opções”.

Consumidores checam os preços dos ovos de Páscoa: ainda salgados

Helaine Fernandes, de 43 anos, afirma ter comprado um ovo Alpino por R$50 vinte dias antes da Páscoa e, quando quis checar de quanto foi a variação de preço, se surpreendeu ao vê-lo sendo vendido a R$ 32,00. Como, no período próximo à Páscoa, os ovos estavam com preço cheio, muita gente desistiu de comprar. Assim, como que num ato de desespero, muitas marcas, na véspera do feriado, diminuíram os preços, tentando atrair consumidores a todo custo.

Para quem ainda espera uma redução maior de preços, é bom ir perdendo as esperanças. O consultor de varejo Marco Quintarelli afirma que os varejistas, normalmente, têm acordos nos quais se comprometem a devolver o chocolate que restar para a indústria. Ou seja, eles podem até reduzir seu lucro, mas não o cortarão completamente apenas para se livrar dos produtos restantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *