Muito mais que barba, cabelo e bigode

Por Matheus Gevaerd e João Ricardo Barbedo

 

Pigmentação, engraxate exclusivo e parceria com grife masculina. Esses são alguns dos principais artifícios em que as modernas barbearias cariocas apostam para atrair um público maior entre os homens. “O homem está cada dia mais vaidoso e acaba buscando uma mão de obra mais especializada”, diz Daniel Oliveira, 36 anos, sócio da The Barber, localizada no Centro do Rio. “Eles começaram a colorir o cabelo, a se depilar. Mas faltava o espaço do homem. Nos salões unissex, eles se sentem deslocados, intrusos”, observa Oliveira.

The Barber. (Foto: Divulgação/Site Oficial)

Um estudo sobre o setor, da empresa de pesquisa Euromonitor International, colocava o Brasil na segunda posição entre os países que mais consumiam no segmento de estética (barbearias, produtos e salões unissex), perdendo apenas para os EUA, em 2014. A previsão era que, ainda no ano de 2019, o país viraria o líder mundial, com um crescimento de 7,1 % ao ano e um faturamento anual de US$ 6,7 bilhões, passando assim os Estados Unidos, atual líder, que têm US$ 6,4 bilhões de receita provenientes do setor.

O aumento da demanda por esses serviços, porém, gerou uma elevação dos preços, como destaca o estudante Pedro Diniz, de 20 anos: “No início, eu cortava o cabelo com R$ 20 reais. Só que, com o passar dos anos, aumentaram R$ 5, depois mais R$ 10. Hoje, eu pago R$ 35 pelo mesmo serviço”, destaca. “Prefiro ir em uma barbearia que não me ofereça tantos serviços e me cobre menos. Acaba valendo mais a pena”, complementa Diniz.

O também estudante Gustavo Peres, de 18 anos, pensa de outra forma. Para ele, os serviços oferecidos ainda possuem um bom custo-benefício, principalmente se forem levadas em conta as cortesias oferecidas: “Não acho barato pagar R$30 reais para cortar o cabelo. Porém, se pensar que o chope entra nesse cálculo, passa a ser um preço justo até pela qualidade do serviço”, ressalta.

 

“Um espaço do homem para o homem”

 

A The Barber está em funcionamento há três meses, porém é fruto de um longo planejamento dos três sócios da empresa. “Ficamos quase dois anos estudando o negócio, vendo a viabilidade dele”, afirma Oliveira. “Fomos em praticamente todas as barbearias do Rio, desde a mais humilde à mais sofisticada”, acrescenta.

O estabelecimento fica situado na Rua da Assembleia e aposta na qualidade e agilidade dos serviços para ser sucesso de público: “Aqui, tentamos fazer uma versão dinâmica. Um bom corte ou uma barba duram, no geral, entre 20 e 40 minutos”, destaca o sócio. “Se fôssemos mais rápidos do que isso, acabaríamos perdendo em qualidade e não ofereceríamos um tratamento exclusivo”, complementa.

O sócio da The Barber ressalta que o ambiente acabou atraindo uma grande quantidade de advogados e empresários: “70% do público hoje é do meio corporativo. A gente planejou o ambiente para eles”, afirma.

O empresário Victor Nascimento, de 40 anos, foi recentemente ao local e destacou a qualidade e rapidez no atendimento, mesmo com o preço mais elevado: “A barbearia ainda é nova, então não tem muita fila. Fui atendido muito rápido e bem”, destacou. “O preço realmente é acima da média, mas eu nunca vi tanta variedade de serviços e sofisticação em uma barbearia”, ressalvou.

Segundo o sócio da empresa, o local tem como diferencial um bar variado, onde é oferecida uma bebida de cortesia (sendo café, cerveja ou até mesmo whisky), massagem nos lavatórios e um sistema inovador para o barbear ideal: “Aqui nós temos uma máquina de espuma para garantir a higiene (não utilizam pincéis) e o massageador de barba para proporcionar uma experiência única para o cliente”, afirma.

A barbearia ainda tem como serviços: massoterapia (1 profissional homem e 1 mulher), engraxate exclusivo, alisamento e realinhamento capilar, podologia, camuflagem (barba e cabelo), acabamento de sobrancelhas, tonalização (barba e cabelo) e pigmentação (barba, cabelo e sobrancelhas). Além do já mencionado, a The Barber tem parcerias com fornecedores de produtos masculinos para barba e cabelo, podendo o cliente adquiri-los no próprio estabelecimento.

 

Versatilidade sem perder a tradição

 

A Barbearia do Zé teve a sua primeira unidade inaugurada em maio de 2015, no Méier. Do início até hoje, a barbearia, cujo nome faz uma homenagem ao avô de um dos sócios, cresceu e, hoje, já tem 4 unidades (Méier, Ilha, Botafogo e Tijuca), além de unidades expressas em lojas da marca masculina Reserva. “A barbearia do Zé é fruto de um longo período de pesquisa”, afirma Rodrigo Cabral, de 29 anos, sócio da Barbearia do Zé. “Foram mais de cinco anos visitando diversos locais, até fora do Brasil, como Chicago, Londres e Nova York”, acrescenta.

A arquitetura das unidades é inspirada no movimento Art Déco (arte voltada para o homem) para que o público masculino se sinta a vontade e acolhido nos locais. “É o momento do homem beber seu chope, relaxar, se sentir em casa”, destaca Rodrigo.

O sócio ainda revela que a clientela da unidade Tijuca é bem variada, sem seguir um perfil específico: “A maioria dos nossos clientes tem entre 15 e 30 e poucos anos, mas depende muito”, afirma Cabral. “O público de manhã é de uma idade mais avançada. No horário do almoço, já vem uma galera mais jovem saindo do colégio ou o cara que está no horário de almoço do trabalho”, complementa.

O gerente de vendas Rafael da Cunha, de 33 anos,  é frequentador das unidades Botafogo e Tijuca e destaca que, apesar do bom atendimento, as filas são rotina na barbearia: “Eu gosto muito do serviço, o chope é sensacional também. Um bom custo benefício”, afirma. “Mas só vá em horários alternativos porque uma vez eu fui no sábado e a fila estava imensa. Demorei uma hora para ser atendido”, complementa Cunha.

Chope da Barbearia do Zé (Foto: Divulgação/Instagram)

Os serviços oferecidos pela rede vão desde barba e corte até implante capilar. Além dos clássicos, há o chamado “dia do noivo”, quando a pessoa passa o dia na barbearia realizando diversos serviços, tais como podologia e massagem, podendo também utilizar o espaço de sinuca, videogame e até a opção de ir para a cerimônia em um carro antigo e um motorista vestido de barbeiro.

A Barbearia do Zé ainda comercializa produtos de estética para cabelo e barba (shampoos, modeladores, óleo para barba) e também vende as peças da loja Reserva, uma contrapartida da parceria entre as empresas.

 

O contraponto

 

A Hair Man Barber Shop existe há cinco anos na Rua da Quitanda, no Centro do Rio. Apesar da crise econômica, que abalou o movimento, o pequeno estabelecimento (menos de 20m²) oferece o clássico barba, cabelo e bigode e apresenta uma clientela cativa. “Com a crise, o movimento diminuiu. Mas tem clientela fixa: mensal e quinzenal. Tem cliente que vem duas vezes na semana”, destaca Diego Gonçalves, de 22 anos, barbeiro da Hair Man. O profissional ainda revelou o segredo que mantém o local aberto até hoje: “Aqui o trabalho é rápido, com qualidade, e tem um preço bom. No Centro, o pessoal gosta de praticidade”.

O aposentado Ivan Vital, de 62 anos, é frequentador assíduo do local e destacou que, apesar de pequeno, o estabelecimento tem o que precisa: “É rápido, barato e tem um atendimento bom. Aqui você pode pagar de qualquer forma, até com cartão.”

 

Para quem quiser conferir os serviços:

 

The Barber Rio:

Rua da Assembleia, 40, Centro

(21) 3550-2980

De segunda a sexta-feira: 9h às 20h

Sábado: 9h às 18h

Domingo: Fechado

 

Barbearia do Zé:

Rua Antônio Basílio, 95 – Tijuca

(21) 3283-5454

De terça a sábado: 9h às 22h

Domingos e feriados: 10h às 18h

Segunda: Fechado

 

Hair Man Barber Shop:

Rua da Quitanda, 81, Centro

(21) 2507-2988

De segunda a sexta-feira: 8h às 20h

Sábado e Domingo: Fechado

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *