Postos do Centro têm procura acima da demanda por vacina contra febre amarela

Postos do Centro têm procura acima da demanda por vacina contra febre amarela

17 de Março de 2017 0 Por Caio Garritano

Reportagem de Caio Garritano, João Ramalho e Melanie Martins

Poucas doses, muita gente. Postos de saúde do Centro não estão atendendo à demanda por vacinas contra a febre amarela, dois dias após a primeira morte confirmada no Estado do Rio pela doença.  Estão sendo distribuídas senhas para organizar o atendimento. No Centro Municipal de Saúde Marcolino Candau, na Cidade Nova, o período de vacinação é dividido em dois turnos:  um pela manhã, com início às 8 horas, e outro à tarde, a partir das 13 horas, totalizando 60 doses. Aos sábados, são ofertadas 50 doses, e o horário de funcionamento é de 8h às 12h.

“As senhas acabam muito rápido”, disse Taís Rodrigues, gerente da unidade localizada na Praça Onze. Ela afirmou que, devido ao número restrito de doses, é realizado um racionamento das vacinas nos centros municipais. Para controlar o atendimento, um método de triagem é utilizado: pessoas com viagens marcadas para locais com alto risco de contaminação têm prioridade.

Centro Municipal de Saúde Marcolino Candau/ Foto: João Ramalho

No Centro Especial de Vacinação Dr. Alvares Aguiar, na Rua Evaristo da Veiga, 300 senhas são distribuídas a partir das 8 h. Seguindo os mesmos critérios do outro posto, o restante da população começará a receber a vacina entre 7 a 10 dias. Cristiane Barcellos, de 29 anos, estava acompanhada de seus dois filhos. Ela procurava pela vacina por indicação médica. “ Um tem 11 anos e está tudo certinho, mas o outro tem só seis meses, fiquei preocupada e resolvi vir logo” , disse. Já Nieldo Ximenes, 64 anos, afirmou que foi motivado a ir ao centro de vacinação por morar em uma área de risco. “Eu moro em Itaboraí e lá já houve o registro de dois casos de febre amarela”, afirmou.

Centro Especial de Vacinação Dr. Alvares Aguiar / Foto: Caio Garritano

Com longas filas desde antes das 7 h, o Centro Municipal de saúde Oswaldo Cruz, na Rua Henrique Valadares, distribui 50 senhas para a vacina contra a febre amarela pela manhã. Como os postos e centros em geral costumam receber doses limitadas, elas acabam antes do final da tarde. Para retirar as senhas, é necessário apresentar documento com foto e CPF original.

Procura por senhas no Centro Municipal de Saúde Oswaldo Cruz / Foto: Melanie Martins

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a partir de abril, novas unidades serão habilitadas para distribuir a vacina, totalizando 233, com um total de 1,5 milhão de doses. Para  a prevenção da doença, é importante o uso de repelentes e roupas protetoras, além da vacina, já que seu transmissor é o mosquito Aedes Aegypti. Já o tratamento deve ser supervisionado por um médico. O paciente deve permanecer em repouso com reposição de líquidos e das perdas sanguíneas, quando indicado. Nas formas graves, o paciente deve ser atendido em uma Unidade de Terapia Intensiva.