A volta do templo do futebol brasileiro

Partida entre Flamengo e Corinthians, na reabertura oficial do Maracanã
Partida entre Flamengo e Corinthians, na reabertura oficial do Maracanã

A mais tradicional casa do futebol brasileiro teve sua tão esperada reabertura neste domingo. O Maracanã, que estava fechado desde as cerimônias dos Jogos Rio 2016, teve sua reestreia com uma partida entre Flamengo e Corinthians pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com um público de 65.743 pessoas, o local voltou oficialmente a realizar partidas entre clubes, o que não acontecia desde a partida entre Vasco e Botafogo pela final do Campeonato Carioca deste ano.
Palco do milésimo gol de Pelé, da final da Copa de Mundo de 2014 e de diversos momentos marcantes para a história do futebol mundial, o Estádio Jornalista Mário Filho foi construído para a Copa de 1950 e desde então é considerado o maior templo do futebol brasileiro, tendo uma importância especial para os torcedores. Para o advogado Marcelo Carvalho, de 36 anos, o lugar tem uma energia diferente e fundamental para a união da torcida. “Aqui somos todos um só, independentemente de classe, religião ou partido político”, afirma ele, que levou o filho de 5 anos para assistir à partida de reabertura.
O local também é muito marcante na relação dos torcedores e seus times de coração. Segundo o estudante de jornalismo Yuri Agahmenon, que torce para o Flamengo, o estádio faz parte de uma lembrança especial: a conquista do sexto título do Campeonato Brasileiro do seu time, em 2009. “Hoje eu me sinto voltando pra casa”, conta ele, que diz se sentir à vontade no lugar.
O estádio passou por reformas para receber a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos de 2016 e teve que diminuir sua capacidade de público para 78 838 espectadores, já tendo recebido partidas com 200 mil pessoas. Além disso, foram realizadas mudanças no campo e na estrutura das arquibancadas. Para muitos torcedores, o local se tornou uma arena elitizada e com preços mais altos que os normais, tornando-se menos acessível em relação ao que costumava ser. Para a estudante Ana Beatriz Lima, de 18 anos, também falta um forte policiamento na região.”Dependendo da partida, não é muito aconselhável levar criança, por exemplo, porque estamos sujeitos a qualquer tipo de coisa”, disse ela, referindo-se ao tumulto provocado pela briga entre as torcidas do Corinthians e do Flamengo no último domingo.

 

Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã, na copa de 1950
Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã, na copa de 1950

Além de partidas de futebol e cerimônias esportivas, o Maracanã também já recebeu o festival Rock in Rio e shows de grandes nomes da música internacional, como Paul McCartney e Rolling Stones. A próxima partida a ser realizada lá será entre Fluminense e Vitória, na próxima sexta, pela 33ª rodada do Brasileirão.

Um comentário em “A volta do templo do futebol brasileiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *